Sítio Arqueológico de Joanes

O que fazer
Sítio Arqueológico de Joanes

Aérea do Sítio Arqueológico de Joanes - Salvaterra - Foto: João Ramid / SETUR

Os resquícios da cerâmica Marajoara e Aruã indicam o Marajó como uma das áreas mais importantes para se conhecer a trajetória da presença do homem na Amazônia e a Vila de Joanes é o palco privilegiado dessa história. O local foi um dos primeiros núcleos da colonização portuguesa no arquipélago, surgiu como uma missão jesuíta no século XVII e hoje as ruínas da igreja e seu entorno são reconhecidas como núcleo dos habitantes originais da região e seus primeiros contatos com os europeus.

O que fazer
Visita às ruínas, contemplação da baía do Marajó, banho na praia de Joanes, comer e beber nas barracas da praia.

Como chegar

* Opção 1 (de Barco): embarque no Terminal Hidroviário de Belém, armazém 09 (Av. Marechar Hermes, nº 901). Saem regularmente barcos com destino ao Porto de Camará (Salvaterra), na Ilha do Marajó. A viagem dura aproximadamente 3 horas. 

* Opção 2 (de Lança rápida-Catamarã): embarque no Terminal Hidroviário de Belém (Av. Marechal Hermes, nº 901), com saídas diárias, sempre às 8h. A duração da viagem é de 2 horas.

* Opção 3 (com Carro e Balsa): as balsas saem do distrito de Icoaraci (localidade próxima a Belém) e a travessia dura entre 3 a 4 horas até o porto de Camará/Salvaterra.

* Opção 4 (Taxi Aéreo): o monomotor sai do Aeroporto Internacional de Belém (Av. Júlio César, s/nº - Hangar 07) , sempre nas segundas e sextas-feiras, às 11h.  A duração da viagem é de 20 minutos. Para chegar até Salvaterra é necessário pegar ònibus ou van e atravessar o rio Paracauari de balsa.

Cidade: 

Localização

Mais